Trajes para entrevistas

Uma das coisas que me deixam muito pensativa, é quando vejo reportagens em televisão ou revistas sobre como as pessoas devem se vestir quando comparecem a uma entrevista de emprego.

Sempre, mas sempre mesmo é a mesma coisa. Os entrevistados indicando roupas sóbrias. No máximo, algum adereço, porém sem muito destaque para que a pessoa pareça séria.

Mas peraí. A empresa está querendo contratar um robô ou o quê? E a criatividade, e as idéias, e os ideais ficam aonde?

Porque querer moldar a pessoa é quase como dar um tiro no pé. Ela até aguenta. Mas uma hora a corda do sufoco arrebenta. E aí, adeus tudo que foi investido nela. Porque, senhores empregadores, ela vai pedir demissão.

Não quero dizer que as pessoas não devam respeitar o ambiente da empresa a que se candidataram. Claro, se elas desejam trabalhar num determinado local, elas devem estar a par do que se espera delas. Mas a rigidez no vestir, principalmente, faz com que a pessoa se tolha. E uma hora, mais cedo ou mais tarde, essa pessoa começa a se questionar. E é neste momento que ocorrem os grandes rompimentos. Quando a pessoa percebe que passou anos de sua vida tentando ser o que não é.

Então, se for prá se candidatar a uma vaga num lugar que não tem nada a ver com o que você pensa, caia fora enquanto é tempo. Porque um dia a casa cai. E, aí, pode ser tarde demais.

Isto aconteceu comigo. Felizmente a tempo de recomeçar. E estou bem feliz fazendo o que gosto e me vestindo do jeito que quero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *