Por que eu ainda me emociono?

O título deste post é uma pergunta. Para a qual ainda não encontrei uma resposta.

Há 3 dias, específicamente dia 3, ocorreu o primeiro turno das eleições para presidente e outros cargos, neste país.

Como alguns deles não foram devidamente preenchidos, incluindo-se aí o de presidente da república, dia 31 iremos novamente às urnas.

Não quero discorrer aqui sobre o processo eletivo, partidos, candidatos ou outros que tais.

O que me interessa neste momento é falar da minha emoção na hora de votar.

Apertar aquelas teclinhas me levaram às lágrimas. Devidamente contidas enquanto na cabine.

Não sei exatamente o porque da emoção, porque no meu entender o país não está lá estas coisas, mas simplesmente a possibilidade de poder participar de uma escolha que vai de uma forma ou de outra determinar o rumo da minha vida e de outras tantas milhões de pessoas é incrível.

É do que gosto. Participar das decisões. Principalmente quando envolve a mim ou minha família.

Que seja o que Deus quiser.

Mas claro que eu torço prá um, não é? Mas não declaro nem sob tortura.

2 comentários sobre “Por que eu ainda me emociono?

  1. Olá! Navegando por aí, vim parar aqui. Foi uma grata surpresa porque adorei seu blog. Você escreve muito bem, com inteligência, bom humor e sensibilidade. Voltarei mais vezes. Abraços.

  2. Claudio. Muito obrigada pelo elogio. Mas devo te dizer que também andei ‘furuscando’ teu blog, e até já assinei o feed. Teus posts me tocaram sobremaneira. E com um, particularmente, me identifiquei ao ponto de rolarem lágrimas. Aguardarei teus posts e os lerei todos. Abração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *