Pessoas que se queixam da vida

Uma frase do Jô Soares me chamou a atenção. “As pessoas que se queixam da vida, o que dirão da morte?”

Eu fico impressionada como, todo santo dia, entra alguém na minha lojinha reclamando da vida.

Pessoas com uma família legal, morando numa casa boa, situação amorosa definida, conta no banco recheadinha, e reclamando.

Conheço pessoas que estão em situação beirando o desespero, e nem por isto estão reclamando da vida. Pessoas com os filhos doentes ou doentes elas próprias,  sem perspectiva de cura, já tendo que ter vendido os poucos bens que ainda possuíam para pagar tratamentos, sem casa própria prá morar, a esta altura já sem crédito no comércio, e mesmo assim elas permanecem otimistas e pensando no futuro.

Por que para alguns estas adversidades são verdadeiros tônicos e para outros um espirro ou um sapato desejado que não serviu são como uma declaração de morte?

Aí, entra a frase do Jô Soares.

O que estas pessoas prá quem nada parece satisfazer pensam quando passam por uma situação que realmente não tem volta, como a morte? Porque um dia algum ente querido dela vai se mudar da Terra. E o que elas pensam quando se deparam com a possibilidade de sua própria morte? Será que este pessoal não pensa que um dia vai morrer, queira ou não? Ou será que, para uma pessoa que só vê o mundo que acontece ao redor de seu próprio umbiguinho, ela nasceu para a eternidade?

Talvez por isto, esta crise de tédio.

Como, com certeza, estas pessoas serão eternas (é o que elas pensam), dá um cansaço pensar no tudo que terão que fazer pela eternidade afora. Então já ficam reclamando a partir  de agora, talvez prá ganhar tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *