Esperança (parte 2)

Me desculpem a demora em falar sobre o resultado dos exames complementares a que me referi no post do dia 05/03/2009.

Mas a emoção ainda é muito grande. Basta eu começar a lembrar de tudo, e choro. Ainda choro mesmo. Neste momento, por exemplo, já comecei a tremer. Mas vamos lá.

Os exames complementares de meu filho foram feitos. Analisados, confirmaram o que se desejava. O coração de meu filho parou de piorar. Não quer dizer que ele esteja melhorando, ou que agora o mano poderá começar a fazer exercícios. Isto não. E como disse o cardiologista, provavelmente isto não deverá acontecer.

Porém, o fato de não continuar a piorar já é muita, mas muita coisa mesmo.

Os remédios foram suspensos aos sábados e domingos, e até agora tem dado certo.

Prá nós, é como se nosso filho nascesse novamente. Com 15 anos, ele está renascendo.

Hoje, olho prá ele e vejo a real possibilidade da vida. Do renascimento.

E continuo vendo, além de tudo, a maior, a grande possibilidade da fé.

Eu acreditei, acreditei mesmo, e este foi o prêmio que recebi.

Meu filho conosco mais tempo.

Era tudo que eu queria.

E agradeço a Deus e a todos que nos deram força neste tempo todo. Que entenderam nossos momentos de silêncio, de resguardo. Que entenderam as lágrimas por trás dos sorrisos.

E que entenderam a nossa fé. E que, junto da gente, acreditaram também.

Obrigada.

4 pensou em “Esperança (parte 2)

  1. Desculpe-me a demora em te responder. Exatamente, coisas de mãe. Mas obrigada pelas palavras. É bom saber que outros acreditam tanto quanto nós que a fé, sim, remove montanhas.

  2. Beth, Sou Portuguesa e não sei porquê acabei por cair no seu blog e li sobre as boas noticias sobre seu filho. Eu não tenho filhos e acho que nunca vou conseguir ter…mas sou filha e sinto toda a profundidade do amor de minha mãe por mim. Fico feliz com as melhoras de seu filho e torço para que tudo corra bem com sua familia.
    Um abraço de Portugal.
    Carla

  3. Carla, fico muito agradecida pelos seus votos por meu filho. Gostaria de te dizer que vários médicos me disseram que eu não teria mais filhos depois da menina mais velha. Mas eis-me aqui, mãe de 3 filhos. Acredite, e tenha fé, querida. O que for pro teu bem haverá de acontecer. Estarei torcendo por ti, assim como sei que torces por mim. Um grande beijo em ti e na tua mãe. Muito obrigada pelo comentário. Muito obrigada mesmo. Beth.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *