Ao ver uma foto…

Hoje, ao procurar algumas coisas prá mandar para minha filha que foi morar em outra cidade, encontrei, entre outras coisas, algumas fotos da formatura  dela em fisioterapia. (coincidência, hoje é dia do fisioterapeuta).

Ao olhar algumas fotos, me veio à lembrança alguns dos que eu considero os grandes momentos da maternidade, e por que não?, da paternidade também.

As emoções começam quando um médico nos diz que “acho que vocês estão grávidos”, e se completam com a confirmação através de exames.

A  filha nasce, e é uma emoção só. Dor? Que dor? Não lembro, já passou. Cai o coto do cordão umbilical, último remanescente da ligação física entre a mãe e o bebê.

Ela deixa de mamar no peito, já tá querendo nos abandonar.

Vai pro jardim de infância. Já está tão independente…

Vai prá escolinha, e a gente chora mais que ela no primeiro dia de aula.

Termina o primeiro grau. Gente, como cresceu.

Termina o segundo grau. Já parece uma mulher.

E dá-lhe choro na formatura. Está tão linda a minha filha.

Vestibular. Acho que é a situação em que a angústia é muito maior prá gente do que para as “crianças”. Passou. Ai Deus.

E vem a formatura. Nas fotos é pai e mãe de nariz vermelho, olho inchado de tanto chorar de emoção. Até hoje, é ouvir a música da entrada no salão de formatura, e o arrepio vem junto. Conseguimos realizar o último feito que dependia de nós. Agora é com ela.

Mas não acabou.

Daqui a pouco, vem a nótícia: vocês vão ser avós. E vamos chorar de novo de felicidade.

E vamos voltar a um jardim de infância, prá buscar nossos netos.

E vamos voltar a chorar muito.

E isto não terá fim. Porque também vou ter bisnetos, tataranetos…

Ah, um detalhe. Ainda tenho dois filhos que estão no meio deste caminho. Ainda tenho mais uma formatura de primeiro grau, duas de segundo grau, dois vestibulares, duas formaturas em faculdade, muitos telefonemas prá avisar de netos.

Dai-me força, Deus. E um pote bem grande de lágrimas de alegria.

Que assim seja.

2 pensou em “Ao ver uma foto…

  1. De nada, querida. Acho que vale a pena dividir experiências. Sempre se aprende alguma coisa. E algumas vezes, pode-se evitar erros, ao mesmo tempo confirmar acertos. Beijão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *