A maquiagem da estrela

Ontem, através da minha filha Renata, conheci um blog legal. E o achei muito legal, mesmo. Até já coloquei nos favoritos. Tem posts muito bons.

Porém, ai, porém…

Li o post de ontem e confesso, no começo, fiquei triste pelas fotos postadas. Em princípio, achei um baita desrespeito. Não sei se, na verdade, a garota que o escreve teve ou tem próxima dela, uma pessoa de mais de 50 ou 60 anos. Ou pelo menos alguém que, com esta idade, gosta de se maquiar, é vaidosa.

Mas continuando na leitura, fui aos comentários. (adoro lê-los). E o último de então, de alguém que assina Cris, me foi particularmente tocante. Ela fala numa avó que gostava de se maquiar, e deu aos outros comentários a resposta que eu gostaria de ter dado.

É muito fácil ridicularizar pessoas que estão com uma maquiagem forte, over, diriam elas. O blush errado, muito forte, um batom além das medidas e a sobrancelha parecendo a de uma louca.

Primeiro, devo dizer que  própria autora do post pede que a avisem quando for mais velha, se ela estiver exagerando nalguma coisa. Isto é porque ela sabe que aos 88 anos, como é o caso da sra da foto, ela talvez não esteja enxergando bem, ou a moda da época vá ser outra. E se ela mesma admite que poderá errar, por que esta sra não tem este direito?

Eu tenho 53 anos. Sou da época de dancing days, de embalos de sábado à noite e hair. Naquela época, tudo era muito mais intenso, assim como, pesquisando a gente pode saber que, no tempo em que aquela senhora era novinha, as sobrancelhas eram absolutamente marcadas e os olhos excessivamente pretos. Porém, eram a moda da época.

Hoje, é tudo muito mais sutil (mesmo assim, a gente vê cada coisa no meio da rua), as informações correm a mil, temos a internet. Mas pessoas mais velhas às vezes demoram um pouco mais a se desligarem daqueles hábitos do passado. E há mais um detalhe. Todos falam, falam, mas ajudar que é bom, necas.

Eu mesma tenho procurado na internet, blogs que tenham posts ensinando maquiagem prá minha idade. O máximo que encontrei, sob o título “maquiagem para pálpebras caídas”, foram fotos ensinando como maquiar um olho japonês. Ora, o olho dos japoneses são dotados de uma pálpebra até caída, mas a pele é firme, clarinha. Mas a nossa não. A nossa, mesmo com todos os cremes à disposição, é, não apenas caída, mas também flácida.

Aí está a diferença. Não deu de adaptar, ou não consegui. (um aparte: não fale em plástica, nem todas temos dinheiro ou coragem ou condições físicas para fazê-la).

Eu gostaria que alguém nos olhasse com carinho. Que alguém nos ensinasse, como ensinam milhares de possibilidades de maquiagem para as mais novinhas. Eu queria que nos entendessem.

E não que simplesmente rissem de mim e dos meus erros.

Obrigada.

1 pensou em “A maquiagem da estrela

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *